Você está na categoria

#Vimeo

Cemitério em Manila: Above and Below

18 de outubro de 2012

Este curta/mini-documentário mostra o cemitério de Nevotas, em Manila, nas Filipinas. Above and Below quer dizer “Acima e abaixo”, fazendo uma alusão a em cima da terra e abaixo da terra.

A cidade de Manila é uma das mais superpopulosas do mundo e por isso duas mil famílias acabam morando no cemitério. Não cabe mais ninguém. É um dos curtas mais tocantes que já vi. A trilha dá o toque final nestas bonitas e chocantes imagens.

(acho que só o Chongas pra ter no post abaixo a Gnesa e aqui esta beleza de trabalho hehe)

Timelapse: Paris

17 de outubro de 2012

O Rio de Janeiro é bonito mesmo, mas é pela geografia MUITO privilegiada. Fico imaginando há centenas de anos atrás os primeiros barquinhos entrando na enseada de Botafogo e vendo hoje o que seria o pão de açucar, com a mata nativa, lagoa, florestas e morros.

Mas estamos aqui para falar de Paris, que aí sim, foi abençoada com a arquitetura. Não é à toa que é a cidade que mais recebe turistas no mundo… Aqui dá para ver e conhecer um pouco de Paris e ficar, ou caso já conheça, continuar apaixonado.

Aqui o último timelapse que publiquei, foi em Berlim.

Timelapse: Berlin Hyper-Lapse

5 de outubro de 2012

Até então eu vinha publicando timelapses (já está na hora de saber o que é) “estáticos” ou com um movimento suave de subida, ou descida.

Agora, o autor do vídeo b-zOOmi, acabou de subir o nível… ele, em Berlim, marcava pontos pela cidade e ainda os fotografando fazia o timelapse. Ou seja… ele usou a técnica parallax shifts (palavras difíceis engrandecem o post) e criou um efeito fantástico de movimento e zoom.

Israel/Palestina: Essa Terra É Minha

4 de outubro de 2012

Uma animação fantástica, musicada e bem humorada sobre o território de Israel e Palestina, aquela terra de ninguém terra de muitos donos.

Digamos que no Brasil tinham os índios e depois os portugueses, e daí chegou na gente.

Lá naquele territócio já passaram os Cananeus (aquele território já foi chamado de Canaã), depois os egípcios, daí os Sírios, depois os filhos de Israel, o pessoal da Babilônia, aí vieram os Macedônios, então os Gregos, os Ptolemaicos, os Selêucidas, e aí os Macabeus, então os Romanos, depois a turma do Império Bizantino, os árabes Califas, a trupe da porrada das Cruzadas, os Mamelucos, daí os Turcos e Otomanos, os Árabes (enfim), depois os Britânicos, aí sim os Palestinos, os Judeus, os Hamas/Hezbollah e aí… o resto vocês sabem…

Se você quiser saber quem são todos os personagens a animadora, Nina Paley, fez a descrição um a um. Só achei que ela podia ter colocado as datas… mas enfim.

Polêmica: A Verdade Sobre a Copa 2014

1 de outubro de 2012

Já vi este documentário duas vezes… Não sei o que eu senti.

Por um lado mostra os moradores de comunidades descobrindo, o que eles acham ser, o real motivo dos remanejamentos. Mostra como eles entendem a desfavelização. E o que está por trás de todas as obras da Copa no Brasil. Sobre os atrasos propositais, compartilho do mesmo pensamento, inclusive já falei aqui sobre as licitações emergenciais.

Por outro lado eu, playboy (como já me chamaram), me questiono se eles realmente entendem que invadiram as encostas e morros do Rio de Janeiro. É terrível falar isso, mas as favelas são, ou deveriam ser, ilegais… Se eu construir uma mansão com vista privilegiada para o mar sem pagar absolutamente nada eu, provavelmente, teria um imóvel ilegal. Portanto, qual é a mágica de construir casas simples, sem nenhuma autorização e crer que tem o direito de permanecerem alí.

A zona portuária do Rio é um caos, imunda e abandonada, não podemos ser contra o desenvolvimento daquela área… Isso é um exemplo de uma das áreas que conheço e que foi mencionada no vídeo.

Não sou contra quem mora em comunidades, só estou sendo realista.

Imagino que morar por mais de 40 anos em uma comunidade possa parecer que você é dono/pertence àquele lugar, daí vem todos este sentimento do vídeo. Eu sei, que isso irá gerar uma confusão tremenda nos comentários, mas recomendo MUITO que assistam.

Me fez pensar…

Da parte da produção, captação de imagens, qualidade dos textos e alto teor de provocação, no sentido de questionar empreiteiras multimilionárias eles estão mais do que de parabéns. Está tudo impecável!

Convido, inclusive, os autores do vídeo para um bate-papo, quem sabe, se eles aceitarem, a gente publica aqui e vamos nos entendendo.

Curta: Não Misture as Coisas

27 de setembro de 2012

O animador Joost Lieuwma, holandês, trabalha com animação, mas nunca havia se aventurado em uma produção independente. E conta que fez este “Things You`d Better Not Mix Up” para tentar entrar em festivais de curta e tal.

O título dele quer dizer “Coisas que você não devia misturar”.

É bobinho, mas fui vendo… vendo… e me entreteve. Bem criativo e divertido. Tem uma trilha que encaixa perfeitamente no conceito.

Como uma Estrela do Mar se Alimenta

26 de setembro de 2012

Ok… pode parecer bobo à princípio. Ninguém quer saber da vida das estrelas do mar… Mas quando a filmagem é sensacional – com direito a micro câmera dentro de ostras – e tudo acelerado é certamente um vídeo que deve ser visto.

Pela micro câmera, malandramente dentro das ostras (o alimento preferido das estrelas do mar), é possível ver como elas colocam todo o estômago pra fora, jogam o suco gástrico, e deixa as enzimas trabalharem, até que tudo vire um suquinho e elas sugam.

Esta filmagem nunca havia sido feita. Ou seja, conte para todos que você é um dos poucos que viu como uma estrela do mar se alimenta. Você poderá ficar famosão no bairro (ou não)

Timelapse: Singapura

25 de setembro de 2012

É, sem medo de exagerar, um dos Timelapses mais bem editados e filmados que vi. Ele usou a técnica tilt shift – aqui pra entender – , mas mudando o ponto de foco durante o processo de filmagem… Ou seja, daí deu um efeito incrível de camadas de foco. Só vendo pra entender.

Além de fazer tudo parecer uma miniatura. Tá espetacular, não percam esse!

E à título de curiosidade, não tem nenhum efeito gráfico no curta, é todo feito com lentes específicas.