Rãs São Fiéis…

26 de fevereiro de 2010

Documentário revela segredo da monogamia de rã

“Esta é a primeira descoberta de um anfíbio verdadeiramente monogâmico”, afirma o coordenador do estudo, o biólogo Jason Brown, da Universidade East Carolina, em Greenville.

Brown e outros pesquisadores da universidade vêm estudando extensivamente nos últimos anos a espécie, que foi filmada para o documentário da BBC.

ras

O Cara estuda, faz uma faculdade, tem a chance de poder transformar o mundo, gasta milhões em pesquisas, passa a vida na floresta esturando mais e analisando as espécias, faz mais pesquisa e quando finalmente conclui seu trabalho descobre que a rã não trái.

32 pessoas já comentaram

  • Jeff disse em 26/02/2010 | 03:17.

    Fidelidade : esse é o caminho.

    Responder

  • Marília disse em 26/02/2010 | 03:20.

    assim vc ofende os biologos ¬¬
    é como um outro trabanho qualquer

    Responder

  • kmikz disse em 26/02/2010 | 03:21.

    isso se chama falta de enxada…

    Responder

  • PAULO disse em 26/02/2010 | 03:23.

    VIU SENHOR CHONGAS….PODE CASAR COM UMA RÃ, NÃO CORRE O RISCO DE VIRAR CORNO……..HEHEHEHHEHE

    Responder

  • Claudio disse em 26/02/2010 | 03:26.

    Noticias que realmente embundecem nossas caras…

    Responder

  • CAMILA VILELA disse em 26/02/2010 | 03:34.

    ele descobriu uma maneira d naum ter cifres!!!! …. e esta maneira é: chãnanaã!!! CASAR COM RÃS!!!

    esse é o futuro!! rsrsrs

    Responder

  • Fábio disse em 26/02/2010 | 03:47.

    Pelamor…é por isso que essa merda de mundo não vai para a frente….porra, tem tanta gente inteligente no mundo, gastando seu tempo, $$ e conhecimentos com coisas vãs…Queria ver uma pessoa com 5ª do primeiro grau apresentar a cura para o câncer ou AIDS, ou desenvolver um mecanismo que gere energia renovável só para deixar no chinelo esses babacas metidos a doutores…o que nós interesse se uma rã é fiel? só me interessa saber se a pereréca da minha mulher é fiel…só isso. Uuuufffaaaaaaaaaa…desabafei hahahahahaha

    Responder

  • Fábio disse em 26/02/2010 | 03:48.

    Só me interessa saber se a perereca da minha mulher é fiel hahahahaahahahahhaa.

    Responder

  • Fábio disse em 26/02/2010 | 03:50.

    Só me interessa saber se a perereca da minha mulher é fiel ahahahahahahhaa.

    Responder

  • Rossini disse em 26/02/2010 | 03:51.

    Como diz um amigo meu, “e o cara ainda ganha um diploma de doutorado por isso”.

    Responder

  • Rafael² disse em 26/02/2010 | 04:07.

    ¬¬’

    Responder

  • Danilo disse em 26/02/2010 | 04:29.

    Jovens tolos. Só porque a pesquisa não rende milhões de dólares não quer dizer que ela é inútil. Por pensamentos assim que os gringos, infelizmente, estão a milhões de anos-luz a nossa frente.

    Como disse a Marília, ser pesquisador é uma profissão como qualquer outra qualquer. Não matamos, não roubamos, mas, infelizmente não recebemos valor algum por nossas descobertas… Isso é sim é TENSO. ¬¬

    Responder

    • Vila-Lobos disse em 26/02/2010 | 05:17.

      Discordo completamente, pesquisa tem q ser praticável e relevante! Essa é a função de um pesquisador, contribuir com o conhecimento científico. Talvez o trabalho citado tenha algum fundamento além desta descoberta. Porém, alguns mestres e doutores hoje em dia ainda conquistam seus títulos a base de descobertas e análises fúteis, ocultas sob um texto digno de uma obra de Tolkien.

      Responder

      • Danilo disse em 27/02/2010 | 10:03.

        Bom, se o cara saiu dos Estados Unidos e foi pesquisar uma rã no Peru é porque alguém acha relevante a pesquisa certo?

        E se não me engano, existem na TV uns dois ou três canais muito ruins (Discovery Channel, Animal Planet, National Geographic) que “quase nunca” apresentam pesquisas com animais. Aquelas pesquisas que você chamou de inutéis. O que não consigo entender é o seguinte: se é inutil, porque tem gente que paga a pesquisa?

        Outro ponto, os caras publicaram o artigo na American Naturalist, uma das revistas científicas mais prestigiadas no meio científico ecológico. Sugiro que pegue o texto, leia-o e depois me fale se é uma obra digna do Tolkien. Experimentação científica meu caro, algo que pode estar um pouco além da sua compreensão… tenho o dito.

        Flavião, adoro Chongas meu velho, mas esse post foi “soda” para seus visitantes pesquisadores. Abraços!

        Responder

      • Vila-Lobos disse em 28/02/2010 | 06:49.

        A: Não me importo com os motivos do pesquisador em questão, essa é a minha opinião;
        B: Não encontrei a palavra “inútil” em nenhuma parte do meu texto e em nenhum momento critiquei pesquisas com animais. Acho q a seguinte frase, que foi ignorada na sua leitura, deixa claro isso: “Talvez o trabalho citado tenha algum fundamento além desta descoberta.”;
        C: “Experimentação científica meu caro, algo que pode estar um pouco além da sua compreensão… tenho o dito.”, ainda bem que vc disse “pode”, pois errou feio. Afinal quem tem publicações em eventos como o Sibgrapi, tem q compreender muito bem oq é pesquisa científica.

        Responder

  • Morgana disse em 26/02/2010 | 05:22.

    Essa é uma notícia que imbundece a minha cara.

    Responder

  • Ricardo disse em 26/02/2010 | 06:14.

    Faço minhas as palavras do Danilo.
    Só corrijo a parte do “não rende milhões”. Não para a comunidade, mas os pesquisadores certamente ganharam uma bufunfa pelos direitos de imagem e afins, afinal, aparecerão no documentário da BBC. Que aliás deve ser muito louco, chama-se “Vida” e estréia em março no discovery channel.

    Responder

  • Marília disse em 26/02/2010 | 06:58.

    Obrigada Danilo por concordar comigo!
    poxa, ainda vem esse Fábio falar de uma coisa totalmente diverente da outra.. se o cara trabalha com rãs, foi pq ele escolheu, e nao vai querer trabalhar com humanos!!!

    Responder

  • Bruno Silva Torelli disse em 26/02/2010 | 07:25.

    Desculpe, mas falar que isso é inutil é errado.
    as rãs estão desaparecendo do mundo, assim como todos os anfibios.
    estudar o comportamento deles, e uma forma de evitar a sua extinção está longe de ser algo inutil.

    eu não posso dizer até que ponto essa pesquisa esta relacionada ao fato que eu disse a cima, mas isso foi desrespeito com os herpetologos (quem estuda anfibio e reptil)

    Responder

  • Elaine disse em 26/02/2010 | 09:44.

    Realmente estudos com rãs e demais anfíbios é muito relevante. Principalmente nos dias de hoje em que sofremos e discutimos os efeitos do aquecimento global. Anfíbios são indicadores de qualidade ambiental, onde encontramos esses pequenos seres, significa que naquele lugar a poluição ainda é reversível. Infelizmente dinheiro para essa tipo de pesquisa ou qualquer outro tipo é muito escasso. Obviamente são áreas específicas, mas de igual valor a qualquer outra.

    Responder

  • Rafael disse em 26/02/2010 | 10:59.

    Só me interessa saber se a perereca da minha mulher é fiel hahahahaahahahahhaa.

    eh uma pesquisa inutil sim, esse tal equilibrio ambiental nem eh taooo importante como disem, eh importante sim, mas uma especie a mais, uma a menos, dependendo de qual especie se trata, nao vai gerar o fim do mundo!! agora ecochatos tem algo pra comentar!!

    Responder

    • Ricardo disse em 27/02/2010 | 05:29.

      “esse tal equilíbrio ambiental nem é tão importante assim”
      Tá de brincadeira né?

      Responder

  • Rafael disse em 26/02/2010 | 11:00.

    a esqueci de diser, ateh hoje eu rio litros desse macaco!!

    Responder

  • aff disse em 26/02/2010 | 11:26.

    claro, que cientistas inutes! nao geram nenhum beneficio a sociedade!

    vamos assistir futebol.. isso sim ajuda a evoluir a humanidade

    Responder

  • Pedro disse em 27/02/2010 | 01:10.

    Acho pertinentes os protestos em favor de destinar mais investimentos às pesquisas para a cura da AIDS e de diferentes tipos de câncer, mas também é preciso ouvir o que nosso amigo Bruno colocou aí em cima,
    Rãs e sapos estão desaparecendo gradualmente do planeta devido a uma doença causada por um fungo. Saber que essa espécie de rã é monogâmica ajuda significativamente para saber quantos indivíduos são necessários para que suas populações mantenham um pool genético diversificado o suficiente para não correrem risco de extinção.
    Embora seja uma rã minúscula, e talvez você possa pensar que ela não faria falta a ninguém neste mundo, certamente sua extinção influenciaria na estabilidade do ecossistema em que vive, aumentando e/ou diminuindo a quantidade de indivíduos de outras espécies.
    Pesquisa de base também contribui para a sustentabilidade.

    Responder

  • MAx disse em 27/02/2010 | 04:04.

    Quanto a relevância da descoberta eu discuto sim, afinal não sou biólogo e não acho isto algo importante pra minha vida. Mas, aposto que quando inventaram seno, cosseno… Ninguém achou que isto iria dar em lugar algum. Para endossar a questão, as araras azuis também são fiéis assim como outros seres, mas as pessoas tem a tendência de querer diminuir aquilo que não parece útil para elas. Quando fiz meu pré-vestibular ouvi de pessoas das mais diversas carreiras, ou melhor, intencionando-as, questionando o conhecimento que lhes era dado. Ao meu ver, senhor chongas, para uns pode ser inútil isto, mas talvez esta afirmativa derrube algum pensamento de uma linha evolutiva ou sirva para qualquer outra coisa que não sabemos agora. Todo conhecimento por mais banal que ele possa parecer em algum momento pode ter uma importância gigantesca. Assim como saber que existe gravidade e prová-la por deduções matemáticas. Aposto que algum roceiro falou: Para que eu quero saber isto? Para ele não mudou nada, mas para a humanidade sim. Da mesma forma como mudou para a engenharia civil. Mas, aposto que estou perdendo o meu tempo escrevendo, acho que você vai no máximo me responder com alguma zueira ou me mandar a m….

    Responder

    • Daniel disse em 27/02/2010 | 10:07.

      Parabéns! Apesar de não ser biólogo, você é uma pessoas bem esclarecida. Apesar da completa alienação geral do post.

      Responder

  • v4ccine disse em 27/02/2010 | 10:22.

    Em primeiro lugar, nem todos os pesquisadores possuem financiamento pra pesquisas que a maioria das pessoas julgaria como útil à sociedade.
    Em segundo, pessoas têm interesses diferentes, sendo assim, nem todo cientista se interessa pela cura da aids, ou blogueiro vai escrever um livro.
    Em terceiro, se o cidadão levou anos para realizar o estudo, podemos considerar pelo menos dois motivos: ele desenvolve outras pesquisas paralelas a esta e o foco do estudo não era apenas este.

    Dizer que uma informação é inútil é julgar que todo mundo busca conhecimento para você. Pense nisso.

    Responder

  • Simone disse em 27/02/2010 | 06:14.

    Pesquisa de base é assim mesmo. Essa informação parece boba, mas pode dar subsídios para diversas outras coisas. Ninguém descobre nada de extraordinário do nada. Sempre há um contexto de descobertas anteriores, que fazem com que os “gênios” tenham idéias “geniais”. Mas só estas idéias a sociedade comum dá valor…

    Responder

  • Jhowan disse em 28/02/2010 | 09:54.

    Flavio, e as pererecas? Elas traem?

    Responder

  • Marlon Wach disse em 14/03/2010 | 06:06.

    se pudesse até casava com a rã… mas infelizmente o homem casa com pacote completo… perereca + mulher + sogra !!! o_O

    Responder

Comentar

Mas leia antes estas três regras:
  1. O Flavio Lamenza tem sempre razão
  2. Os campos marcados com * são obrigatórios
  3. Em caso de dúvida, ler a regra no 1